E nas entrelinhas daqueles livros

Entretardes Fotografias. ♡ | ask.fm/entretardes
Mudei o layout do blog! Gostaram? Deixem suas opiniões aí nos comentários!
E quem diria que essa moça, que á um tempinho atrás, juro que de um dia não passara, enquanto olhava aos pássaros pela janela deixando os primeiros raios de sol do dia baterem em seu rosto pálido, se questionava o porquê de sua vida ser tão entediante, de uma hora pra outra, havia encontrado um refúgio de fantasia e bravura numa mistura de imaginação e páginas antigas de um livro abandonado.

Ela passara dias e dias se cansando da monotonia de sua própria rotina. Escola, casa, dever, computador. Até que ela resolveu vasculhar mais um pouquinho. Resolveu olhar nas outras portas do colégio. "Um lugar cheio de livros". A primeira impressão era bem clara. Resolveu procurar entre todas aquelas prateleiras de madeira empoeirada, algo que aparentemente agradasse aqueles olhos amendoados castanho escuro.

Pegou um livro grosso de fantasia. Talvez ela parasse no meio, achasse o livro mais monótono e entediante do que tua própria vida, imagine. Ou, talvez, ela visse alguma graça naqueles contos cheio de purpurina dos cavalos mágicos. Ou então se apaixonasse pelo mocinho principal da estória. 

Então, o livro fez uma viagem; da biblioteca de uma escola tradicional antiga ás mãos de uma garotinha curiosa, que apenas queria um pouco de cor na vida. A menina, ao chegar em casa, percorreu seus dedos entre as páginas grossas e empoeiradas como as prateleiras que antes habitavam. Daí, começou sua jornada.

E nas entrelinhas daqueles livros, quem diria, a garota descobriu que, para ter uma vida paralela, apenas uma coisa bastava; um livro. Nessa viagem, a mocinha lutou com dragões. Salvou reinos. Ganhou medalhas. Galopou em cavalos alados. Imagine só, conversara até com os gnomos!

 Quando menos esperou, já estava no epílogo. No ponto final. Onde o final feliz se apresenta. Na verdade, para ela, era apenas um começo. Ela podia viver aventuras quando quisesse, na hora que quisesse; era só imaginar.

Então, sempre quando podia, partia para uma jornada nova. A cada capítulo dos livros de fantasia, magia, ficção e aventura, ela se espelhava na personagem e vivia suas aventuras, como se fosse ela, ali, se vendo refletida na brilhante espada dourada daquela guerreira espadachim. E, de repente, era ela nas entrelinhas daqueles livros.

3 comentários:

  1. Esse texto teve um grande significado para mim, ando achando minha vida tão monótona e acabei de lembrar que tem muito tempo que não leio nada, simplesmente por falta de tempo. Tenho que voltar a ler e imaginar mais, é uma das melhores coisas do mundo. Amei o texto
    Abraços
    http://paradoxoinusitado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Quem diria que um dia essa menininha poderia ser tão feliz! Texto lindo. Super fofo e meigo, e eu meio que lembrei de mim. Gostei pra valer!

    Beijos, INconvencional!

    ResponderExcluir
  3. Texto tão fofinho, HAUHASUHAUSA Adorei, parabéns, Gabriela :3
    Eu adorei esse tema, sério, deu um ar mais "aconchegante" por aqui!

    blog-espelhodigital.blogspot.com

    ResponderExcluir